O que é o Monte Roraima? | Viagens ao Extremo | Brasil | Monte Roraima



RORAIMA

O QUE É O MONTE RORAIMA?

RORAIMA

O QUE É O MONTE RORAIMA?

(Localização do Monte Roraima na América do Sul)

O Monte Roraima, também chamado em espanhol de Tepuy Roraima ou Cerro Roraima, é o mais alto da cadeia de montanhas Pakaraima do planalto dos tepuis na América do Sul. Foi primeiro descrito pelo explorador inglês Sir Walter Raleigh durante sua expedição em 1595. Sua superfície de 31 km² no cume é cercada por todos os lados por penhascos de até 400 metros. A montanha também serve como tríplice fronteira entre a Venezuela, Guiana e Brasil.

(A base do Monte Roraima durante a temporada de chuvas)

O Monte Roraima fica no Escudo das Guianas, no canto sudeste da Venezuela, no Parque Nacional Canaima, com 30 mil km², formando o pico mais alto da Cadeia de Planaltos das Guianas. As montanhas em formato de mesa do parque são consideradas umas das formações geológicas mais antigas da Terra, datando de aproximadamente 2 bilhões de anos, na Era Pré-Cambriana.

(O ponto mais alto do Monte Roraima, a Rocha Maverick)

O ponto mais alto da Guiana e também o ponto mais alto do estado brasileiro de Roraima ficam no planalto, mas tanto a Venezuela quanto o Brasil possuem montanhas mais altas dentro de seus territórios. O ponto triplo de fronteira fica no alto do Monte, a Rocha Maverick, com 2.810 metros, na ponta sul do planalto, dentro do território venezuelano.

(Vegetação no Monte Roraima)

Muitas das espécies encontradas no Monte Roraima são únicas dos planaltos de tepuis, com duas plantas endêmicas encontradas no cume do Monte. Plantas tais como a Heliamphora, carnívora, Campanula (uma flor) e a rara Rapathea são comumente encontradas nas laterais e no topo. No Monte chove quase todos os dias do ano. A quase totalidade da superfície do topo do Monte Roraima é composta de arenito, possuindo somente alguns arbustos e algas presentes. Vegetação baixa também é encontrada nos pequenos pântanos em meio à superfície rochosa. A maior parte dos nutrientes presentes no solo são levados pelas torrentes que caem em cachoeiras pelas bordas, formando algumas das maiores cachoeiras do mundo.

(O sapo dos arbustos de Roraima – animal protegido que só existe no topo do monte e em nenhum outro local no mundo)

Há vários exemplos de fauna única no topo do Monte Roraima. O Oreophrynella quelchii, comumente chamado de Sapo dos Arbustos de Roraima, é um sapo diurno normalmente encontrado em rochas a céu aberto. A espécie é atualmente classificada como vulnerável à extinção e há a necessidade de mais educação para os turistas para que saibam que não devem manipular esses animais em seu habitat natural, uma vez que essa espécie só existe no topo do Monte Roraima e em nenhum outro lugar do mundo. A espécie é protegida pelo Monumento Natural Los Tepuyes na Venezuela e pelo Parque Nacional do Monte Roraima no Brasil.

(A íngreme face de rocha do Monte Roraima)

Apesar das faces íngremes do planalto fazerem seu acesso ser difícil, o Monte Roraima foi o primeiro grande tepui a ser escalado. Sir Everard im Thurn caminhou por uma subida na floresta em dezembro de 1884 para escalar o planalto. Essa é a mesma rota que os que fazem trekking realizam hoje. A única rota não-técnica para o topo é a rota Paraitepui, saindo da Venezuela; qualquer outro lado do monte irá requerer equipamento de escalada. Já ocorreram escaladas ao topo do Monte Roraima tanto do lado da Guiana quanto do Brasil em poucas ocasiões, mas como a montanha é composta de imensos paredões que incluem ficar pendurado em alturas gigantescas (inclinação negativa), essas são rotas extremamente difíceis e técnicas. Tais escaladas também iriam requerer uma difícil autorização para entrar em áreas de acesso restrito nos parques nacionais dos respectivos países.

(Turistas no topo do Monte Roraima – é fácil chegar ao topo em alguns dias de caminhada através da Venezuela)

No Brasil, o Parque Nacional do Monte Roraima fica no território indígena Raposa Serra do Sol, e não é aberto ao público sem autorização prévia. O documentário austríaco de 2013 chamado Caçadores de Momentos: Uma Aventura no Monte Roraima mostra os alpinistas Kurt Albert, Holger Heuber e Stefan Glowacz escalando ao topo do Monte Roraima pelo lado da Guiana. Similarmente, em 2010 os alpinistas brasileiros Eliseu Frechou, Fernando Leal e Márcio Bruno abriram uma nova rota pelo lado da Guiana, escalando até o topo em 12 dias de uma escalada vertical extremamente difícil. Eles chamaram a nova rota de Guerra de Luz e Trevas. Um vídeo de 28 minutos publicado na internet chamado Dias de Tempestade documenta a escalada deles. Assista abaixo:

Dias de Tempestade de Eliseu Frechou no Vimeo.